Em nome de Jesus…

Jovem homossexual exorcizado por grupo religioso

Acabei de ler a notícia aqui.

Deveras revoltante. Não comsigo cenceber os propósitos destes cultos para estes fins ( ou  quaisquer outros).

Qual a autoridade destas pessoas para falar e ordenar em nome de Jesus?

Porque razão este jovem se submete a  isto? Família? Amigos?

Há muito caminho a  percorrer…

Fanáticos da merda.

Anúncios

Tony Blair critica Vaticano por não aceitar gays

O Primeiro Ministro Tony Blair disse que o Vaticano precisa repensar as atitudes “enraizadas” sobre a homossexualidade. Ele disse também que essa é a vontade da maioria dos Católicos.

blairAs declarações foram feitas em entrevista para a revista Attittude Magazine. Blair também ressaltou que existe um medo dos líderes religiosos de aceitar a homossexualidade,o que seria, segundo ele, “evoluir ao longo do tempo.”

Uma das autoridades de maior influência na Europa e no mundo, Blair disse ainda que a fé “não pode ser encontrada nesse tipo de atitude enraizadas” , referindo-se à postura da Igreja Católica contra a homossexualidade.

“Na verdade, precisamos de uma atitude de pensamento onde se repensar e se aceitar a evolução do comportamento, se torna parte da disciplina com a qual você aproxima as pessoas da sua fé” explicou o Primeiro Ministro.

Blair  converteu-se ao catolicismo há dois anos. Enquanto Primeiro Ministro, ele instituiu a união civil para casais do mesmo sexo e reduziu a faixa de idade para a permissão dessa união contemplando os gays.

Via Toda Forma de Amor

Igreja Católica londrina vai homenagear santos gays

Representação de

São Sérgio e São Baco

Gays católicos de Londres vão ter um motivo especial para celebrar o 1º de Novembro, quando  se comemora o Dia de Todos os Santos. É que a paróquia do bairro do Soho, conhecido pela forte presença de homossexuais, realizará uma missa em homenagem “aos santos da Igreja Católica que têm lugar especial na história LGBT”.

Entre eles estão São Sérgio e São Baco (soldados romanos tidos como amantes) e as Santas Felicitas e Perpétua (criada e patroa martirizadas que também viveriam uma relação homo).

Além dos canonizados, a paróquia do Soho também pretende oferecer suas orações aos chamados “santos desconhecidos”, que morreram com Sida e cujos nomes estão registados no Livro Católico de Memória de Aids.

Homossexuais católicos querem Igreja tolerante

Grupo organiza primeiro encontro gay cristão ibérico. Hierarquia eclesiástica recusa comentar.

São católicos e praticantes, mas por serem homossexuais estão afastados da estrutura eclesiástica. Sensibilizar a Igreja para a mudança desta postura é um dos objectivos do primeiro encontro de gays cristãos, em Évora.

“Jesus discriminaria?”. A questão intemporal é colocada pela organização daquela reunião ibérica no Alentejo, agendada para os dias 27 e 28 de Setembro. Debates, palestras e grupos de trabalho, com dezenas de gays católicos de Portugal e Espanha, tentarão responder a tal pergunta, tendo como pano de fundo uma exigência comum: respeito e justiça para todos os homossexuais na Igreja Católica.

Contando com a participação de cinco colectivos religiosos do outro lado da fronteira, o I Encontro Ibérico de Grupos Homossexuais Cristãos é organizado pelo movimento Rumos Novos, com um ano de existência e que conta nas suas fileiras com dezena e meia de elementos, alentejanos, na sua maioria pertencentes à Associação Portuguesa de Homossexualidade Masculina.

Segundo um dos líderes daquele movimento gay, as conclusões dos dois dias de reuniões no Hotel Ibis, em Évora, serão depois remetidas à Conferência Episcopal Portuguesa. “Somos católicos e queremos participar na vida sacramental da Igreja. Jesus nunca se pronunciou em relação à homossexualidade mas a tradição da Igreja sim”, explica ‘José’, simplesmente José, justificando o anonimato com o facto de muitos dos elementos do Rumos Novos estarem integrados nas suas paróquias – alguns como orientadores pastorais – e onde ninguém sabe da sua associação ao movimento.

Para o dirigente religioso a expressão da sexualidade alternativa não é incompatível com o catolicismo, sugerindo que a Igreja se abra ao desenvolvimento de uma “teologia sexual”. Uma disciplina que pudesse ajudar na reforma da concepção da sexualidade e na aceitação dos homossexuais.

“A Igreja não acha a homossexualidade pecado. Aceitamos as nossas responsabilidades perante a Igreja e queremos ter, com dignidade, uma maior participação na vida eclesiástica”, exige José.

A Igreja portuguesa sabe, há vários meses, que Évora se prepara para receber este evento. O movimento organizador enviou cerca de 700 emails a vários membros da hierarquia eclesiástica. Não obteve qualquer resposta.

In JN

Igreja Católica inaugurou um centro para "curar" gays

A Igreja Católica é a principal financiadora de um centro de reabilitação na Polónia que oferece a “cura” da homossexualidade. O local chamado de “Odwaga” abriu as portas para a imprensa este mês por causa da comemoração do Dia Mundial contra a Homofobia.

Entre as actividades que prometem mudar a vida de homens e mulheres está futebol para as pessoas do sexo masculino e cozinhar para as mulheres. A Associação Americana de Psiquiatria já anunciou para casos similares que não existe nenhuma comprovação científica que mostre que o trabalho nesses centros pode “mudar a orientação sexual de uma pessoa.”

Fundado por um grupo de católicos, o centro da Polónia tem recebido severas críticas dos activistas que defendem os direitos dos homossexuais. Dizem que o “tratamento” oferecido no centro, em vez de contribuir para alguma coisa, pode causar problemas psicológicos e inclusive levar ao suicídio.

Centros que prometem a cura da homossexualidade não são novidade nos Estados Unidos e Europa. Em 1991, um caso chamou a atenção do mundo.

Uma adolescente Lyn Duff, de 14 anos, foi internada pela mãe no Rivendell Psychiatric Centre, na cidade de Salt Lake City, Estados Unidos. Contou que foi submetida a terapia de choques, foi obrigada a tomar drogas psicotrópicas, além de participar de sessões de hipnose. Depois de 168 dias internados, Duff conseguiu fugir e entrou com uma acção contra o centro e contra a própria mãe.

Fonte

Desculpem, não resisti. Coloquei uma doutora na foto do post para ela me tratar da saúde.

Cardeal Carlo Martini faz declarações pró-gay


O cardeal Carlo Maria Martini, figura chave no conclave que elegeu o actual papa, manifestou-se a favor dos gays: “Entre os meus conhecidos há casais homossexuais, homens muito estimados e sociáveis. Jamais me foi perguntado e nem me teria vindo em mente condená-los”.

Demasiadas vezes, acrescentou, a Igreja tem-se mostrado insensível, principalmente com os jovens nesta condição.

Este ano, é a segunda figura de peso na hierarquia católica a fazer uma declaração pública pró-gay.

A primeira foi o arcebispo Robert Zollitsch, presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha, que se posicionou a favor da união civil dos homossexuais. Aliás, justamente na terra do papa. Apesar de toda a homofobia que possa existir no catolicismo, nunca antes pessoas de tal importância na Igreja se pronunciaram tão favoravelmente aos gays.

Nem tudo é assim tão mau.

Fonte