dcm

    Não basta um grande amor
    para fazer poemas.
    E o amor dos artistas, não se enganem,
    não é mais belo
    que o amor da gente.

    O grande amante é aquele que silente
    se aplica a escrever com o corpo
    o que seu corpo deseja e sente.

    Uma coisa é a letra,
    e outra o ato,

    ­ quem toma uma por outra

    confunde e mente.

      Affonso Romano de Sant’Anna
      Anúncios

      Orientação sexual punida em Tires

      Foi noticiado pela Assoc.Opus Gay, que no estabelecimento prisional de Tires, uma mulher que assumiu a sua sexualidade foi punida. Esta reclusa assumiu ser lésbica e manter uma relação com a sua companheira.

      Após este acto o serviço prisional de Tires puniu-a e a sua companheira tentou o suicídio. Uma outra reclusa que diz ter visto a razão que levou à punição da reclusa que se assumiu, mostra-se disponível para testemunhar os factos, isto porque Tires diz que não houve qualquer sanção com base na orientação sexual da reclusa mas sim pelo facto de esta ter agredido um elemento do corpo da guarda prisional.

      In AthosGLS

      Coreografia (para ti)

      No palco da noite bailado de corpos

      Cenário de sombras

      esculpidas em nu

      Tu danças as mãos

      inscreves contornos

      na minha nudez

      Eu sou dimensão

      que dança em teu espaço

      Não temos cansaço

      Só temos volúpia

      Desejo

      Harmonia

      Vontade de luta

      Ao longo de ti descubro caminhos. Trajecto de boca

      E danço contigo

      E esqueço a memória

      Eu sou o teu sangue

      A mesma saliva

      O mesmo suor

      Nós somos a mesma

      Mulher-Repetida.

      Manuela Amaral

      Fanatismo


      …Não vejo nada assim enlouquecida…
      Passo no mundo, meu amor, a ler
      No misterioso livro do teu ser
      A mesma história tantas vezes lida!

      “Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”
      Quando me dizem isto, toda a graça
      Duma boca divina fala em mim!

      E, olhos postos em ti, digo de rastros:
      “Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
      Que tu és como Deus: Princípio do Fim!…”

      Florbela Espanca


      por estrelaminha Publicado em poesia